segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Agora Sei o Que Quero




Estou sentada por sobre os meus pés

Não canso de ouvir a mesma canção.

É uma cantiga doce, fala dos igarapés
Da vida do campo, dum pé de algodão.

Retrata uma vida de simplicidade

Descreve detalhes, com perfeição.

Manifesta sonhos, com naturalidade

E deixa vir à tona, toda sua emoção.

Ouve a melodia suave da passarada

Mostra a casinha, com flores na janela.

São detalhes que me deixam fascinada

E eu me vejo ali, bem em frente dela.

Quem compôs essa canção tão enaltecida

Decerto é um doce poeta enamorado

Agora já sei o que quero em minha vida

Viver nesse lugar bucólico e encantado.



Luzia Duarte

quarta-feira, 7 de outubro de 2009


Ser Poeta

Fiz-me poeta; mas apenas em sonho
Mesmo assim, sinto-me emocionada.
Foi um momento singular, e risonho
Um sonho, que me deixou fascinada.

E aquela sensação, sem tamanho
Permanece; ainda estou sentindo.
Queria tanto que não fosse sonho
Desejei tanto não estar dormindo.

Mas, se por acaso eu tivesse despertado
Uma coisa eu devo admitir, e estou certa.
Doutra maneira não teria experimentado
Tanto enlevo, essa delícia que é ser poeta.

Luzia Duarte


sexta-feira, 2 de outubro de 2009

VIDA E POESIA


Preciso confessar como sou Sem artifícios, sem fantasia.

Sou mulher; Deus me criou para amar a Vida, e a Poesia.

Trago Luz, em meu nome. E Arte, é um complemento.

Um amigo doou o codinome Uso esse mimo como alento.

Quem incentiva a minha jornada Tem a minha eterna gratidão.

Sem apoio, não registraria nada. Conteria meus versos no coração.

Se o meu versar não tem rima É porque precisa de inspiração.

Mesmo não sendo a obra-prima É um fruto, do meu coração.

Não aprendi a comentar poesia Apenas, sinto, admiro e festejo.

Meus rabiscos não têm mestria São fontes, pros meus despejos.



Luzia Duarte

Pra que VOCÊ não me esqueça...

Estou em repouso absoluto:
“Corpo, alma e coração”
Contra um estresse, eu luto...
Por ora, falta-me inspiração.

Por vezes eu me sinto abatida
Não tenho um controle, em mãos.
Quero mudar os canais da vida
Pra que não perdure essa aflição.

Preciso recobrar a minha energia
Pra que eu encontre o rumo certo
Alguém que me dê alento e alegria
Como VOCÊ, quando estou perto.

Permaneço em fase de recuperação
Mas eu necessito de muita prudência
Afinal VOCÊ mora em meu coração
Ainda que perdure a minha ausência.

Luzia Duarte

Não Implique e Nem Complique

Não se importe quanto a sua cor
O seu nome, ou mesmo, a religião
Por que, nada disso, terá um valor
Se não nutrir, o amor, no coração.

Não é importante a cor d’uma pele
Seja ela, branca, negra ou mulata.
Importa, é quando alguém a repele
Quando, a discrimina e a maltrata.

O que importa a sua característica
Mesmo que possua uma deficiência
Importante não é a aparência física
Importante é a alma e a consciência.

O que importa a roupa que você usa
Contanto que’la esteja em harmonia
Quem não se ostenta, jamais abusa
Revela sua criatividade, no dia a dia.

Não importa o seu nível de educação
O que importa é o caráter e a virtude
Porém é necessário ter livros na mão
Pra ter conhecimento e somar atitude.

Ninguém afirma, que um diploma na mão
Isenta as más ações, hoje, tão amiúde.
Mas há quem preserve a sua formação
E vença por seus valores, suas atitudes.

Não importa se é rico, pobre, remediado
Importa é manter alicerce em seu ninho
Importante ainda, é amar, e ser amado
E semear paz e esperança pelo caminho.

Luzia Duarte

Dó, Dói

Sabemos que, uma dor, dói
Ainda que'la seja passageira.

Mas
não sinta dó, da dor, dum dodói!

Porque dó, também dói e corrói
O corpo e a alma; quem a queira.

Luzia Duarte




Diga-me Adeus, Saudade

Por que a saudade não me sai do coração
Por que insiste em viver dentro de mim
Por que não consigo afastar essa ilusão
De que um dia essa saudade tenha fim.

Sei que a vida é feita de alegria, e de dor
De fatos que agradam, ou afligem o coração.
Mas é tão complicado ter um perfil sofredor
Quando, todo o mundo, desconhece a razão.

Receio, que ela habite em mim por toda vida
Até o exato momento, do suspiro derradeiro.
Quiçá, a saudade dê um adeus de despedida
Entenda que meu coração não é um cativeiro.

Luzia Duarte

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Apesar dos Pesares


Apesar dos Pesares

Aproveito as asas da poesia
Para enviar aos céus minha prece.
Porque eu acredito que algum dia
Todo malefício depaupere, ou cesse.

Se, a deslealdade for combatida
Se, a inveja e a ira forem extintas
Se, toda a iniqüidade for vencida
Se, as más ações forem desfeitas.

Se, toda demagogia for rejeitada
Se, a improbidade for suprimida
Se, a hipocrisia for desmascarada
Se, a promiscuidade for excluída.

Se tudo isso puder um dia sobrevir
E todo o mal for cortado pela raiz
E Deus um milagre assim permitir
O mundo, decerto, será mais feliz.

Apesar dos pesares inda posso apelar
E usar os recursos que tenho em mãos
Apesar dos pesares inda posso sonhar
E converter a minha poesia em oração.

Luzia Duarte

terça-feira, 8 de setembro de 2009




Você é o Meu Poema

Você é meu poema mais bonito!
Pois é pleno de luz e inspiração.
Eu vou guardá-lo como favorito
Eternamente, em meu coração.

Você é meu poema, minha poesia.
A melhor composição do Criador
Pois traz dentro de si, harmonia.
Delicadeza, generosidade e amor.

Você, poeta, é a própria poesia.
Pois tem a intensidade do amor
Seu versar é repleto de mestria.
Tem beleza, melodia, tem sabor.

Luzia Duarte

segunda-feira, 7 de setembro de 2009


Outra Vez, Os Teus Versos

Outra vez, teus versos, me arrebatam
Fascinam-me, deixam-me extasiada!
Palavras, para descrevê-los, me faltam
Uma vez q’estou, deveras, apaixonada.

Sorvo os teus versos, poemas e sonetos
E, aos poucos, vou ficando embriagada.
Essa paixão que exprime em teus versos
Deixa-me, cada vez mais, apaixonada.

Quem dera fossem para mim, esses versos
Essas palavras que me fizeram apaixonada.
Para que eu pudesse mostrar para o universo
Que sou eu, tua inspiração, tua musa amada.

Luzia Duarte

sábado, 29 de agosto de 2009


Em Homenagem ao Paladino e a Donzela

De uma cândida e doce brincadeira
Um romance, inusitado, aconteceu.
É a história de uma donzela faceira
e o nobre paladino q’ela conheceu.

O encontro dos dois tornou-se poético
Unindo assim “O Paladino e a Donzela”
A imagem revela esse casal romântico
“Um Fragmento do conto-novela”.

Luzia Duarte

quarta-feira, 26 de agosto de 2009


SEDUÇÃO

Num clima romântico e sedutor
Quando tudo mais deixa de existir
Entrego-me plena, ao meu amor
Sabendo que ele não vai resistir.

Fazendo desses momentos, magia
Entrego-lhe corpo, alma e coração.
Libido e prazer, que nunca se sacia
Numa entrega repleta de emoção.

Desejando, um ao outro, contentar
Desfrutamos do prazer da sedução
Esse é o jeito mais gostoso de amar
De manter acesa a chama da paixão.

Luzia Duarte

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A Saga d'um Povo




A Saga d’um Povo

Entre gritos e gemidos
Entre açoites e agonias
Em dias e noites, feridos
Sonhavam com a alforria.

Um povo bastante sofrido
Que do seio foi arrancado.
E se emitisse um gemido
Era sempre amordaçado.

Açoitados em pelourinhos
Perdiam a sua dignidade.
Esquecendo seus sonhos
Diante daquela crueldade.

Essa é a saga de um povo
Que dizem:- é de tempos idos
Mas, se existisse algo de novo
Porque nos sentiríamos cativos?

Hoje, nós perdemos a liberdade
Entes queridos, e a própria vida.
Pessoas perdem a sua dignidade
Quando é violentada, agredida.

Parece que retornamos à época
Época que se temiam os algozes.
De tal modo, o medo nos sufoca,
diante de circunstâncias atrozes.

Luzia Duarte

sábado, 15 de agosto de 2009


Teus Versos

Teus versos, sim, são perfumados
Possuem a fragrância de quem ama.
Revelam-se em poemas enamorados
Suscitando nos amantes, a chama.

Teus versos, sim, têm a melodia
E o encanto harmonioso das aves.
Sabem seduzir, através da poesia
E conquista, com graça e charme.

Teus versos, sim, têm magnetismo
E um mistério, que tento desvendar.
Teus versos têm imenso romantismo
E fazem qualquer um, se apaixonar.

Teus versos, sim, são encantadores
Eles possuem o lirismo dos romances.
Pois transformam, corações sofredores

Em apaixonados e belos amantes.

Luzia Duarte

sexta-feira, 14 de agosto de 2009




Ah, essa saudade


INTENSIDADE



Intensidade

Deixei-me navegar no infinito
Cruzei o oceano das emoções.
Não me contive e soltei um grito
Eu superei as minhas limitações.

Naveguei sem temer as tormentas
Pois avistei, logo adiante, um farol.
Esse fulgor, que fascina e alimenta
Tornou-me intensa, ante a luz do sol.

Lancei-me, ao mar, impetuosamente
Desafiei as ondas e o desconhecido.
O horizonte estava bem a minha frente
Indicava tudo quanto eu havia vencido.

Daqui pra frente, eu vou navegar mar afora
Pois confio no poder, na minha capacidade
Os temores, se surgirem, vou jogá- los fora
Tamanha é a minha força, a minha vontade.

Luzia Duarte

terça-feira, 11 de agosto de 2009

QUE BOM SERIA


Que Bom Seria

Que bom seria se a vida não expirasse
E as tristezas pudessem ser revogadas
Que a saudade também se extinguisse
E as más lembranças fossem apagadas.

Que bom seria se a dor não existisse
E todas as penas fossem abrandadas
Que a solidão também se evaporasse
E as aflições não fossem restauradas.

Que bom seria se não houvesse carência
E sobrasse alento pro corpo e pro coração
Que bom seria se não houvesse a violência
Para que a raça humana tivesse quietação.

As noites seriam serenas e os dias luzentes
Entre o céu e a terra só haveria paz e união
E aqueles que se foram estariam presentes
Entre os povos, formando uma única nação.

Luzia Duarte

sexta-feira, 7 de agosto de 2009




A Semente do Bem

Quem no mundo já plantou alguma semente
Decerto pensou em degustar o fruto do bem.
Só não presumiu que poderia vir de repente
Uma rajada de ímpios, para provocar desdém.

Quando uma semente é saudável, ela floresce.
Inda que em sua volta, existam ervas daninhas.
Porque um bom jardineiro dela não se esquece
Busca mantê-la viva, cultivando-a, sem avarias.

Duma boa semente, outras por certo irão nascer.
Basta que haja um solo fértil e carinho profundo.
Mesmo que os ímpios insistam em permanecer
Prevalecerá a boa semente cultivada no mundo.

Luzia Duarte

Só Depende de Nós

Do caminho retirei os espinhos
Afastei as pedras, os obstáculos.
Cultivei flores, com todo carinho.
Abri gaiolas, libertei os pássaros.

Da morada, afugentei fantasmas.
Descerrei janelas para o sol entrar.
Achei necessário fazer as mudanças
E, ainda assim, não pude repousar.

Existe algo importante para converter
Mas isso necessita do apoio de irmãos.
É algo que, a todos, só irá favorecer.
O cultivo do Amor, da Paz e da União.

Luzia Duarte

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

BOM DIA....DIA!




BOM DIA... DIA!

Quando você acordar
Perceba quão o dia está lindo!
Mesmo que ele esteja a nublar
Diga-lhe: SEJA BEM VINDO!

Durante todo o seu dia
Permaneça em oração.
Observe com mais alegria
As batidas do seu coração

Quando a noite tornar-se visível
Repouse como faz um guerreiro.
Que vence tudo quanto é possível
Diante do que é justo e verdadeiro.

Luzia Duarte

domingo, 26 de julho de 2009

Saudades de você...


Ah, essa saudade.....!



Confesso que não venho aqui, como outrora.

Não, mais, com aquela oportuna frequência

E, ainda assim, eu lembro de ti, a cada hora.

Embora, talvez, nem percebas minha ausência.


A minha saudade é muito grande, acredite!

Porque, no dia a dia , aos poucos, me consome.

Mas venho lhe ver, quando o tempo me permite,

para que não olvides de mim, nem do meu nome.


Creia, a minha ausência, não é esquecimento!

A sua lembrança é, para mim, muito constante.

Suplico que não me remova do seu pensamento

Porque a nossa amizade, para mim, é importante.


Luzia Duarte

domingo, 5 de julho de 2009

Conte A Sua História




Escreva a sua história no livro da vida
Certamente alguém vai ler com admiração.
Firme o seu título, para não ficar esquecida.
Subscreva seu nome nas páginas do coração.

Em cada capítulo descreva a sua história
Onde muitas vidas tiveram participação
Não deixe que se percam em sua memória
Assine seu nome na página da recordação.

A cada fato escrito eleja os bons momentos
Todos aqueles que lhe deixaram saudades
Mencione fatos e o seu pleno envolvimento
Escreva o seu nome na página da eternidade.

Em cada folha que você estiver redigindo
Faça referencia a sua verdadeira identidade
Para não pensarem que você viveu fingindo
Coloque o seu nome na página da dignidade.

Luzia Duarte

O Melhor Caminho


Pai, guia os meus passos d’agora em diante
Indicando o melhor caminho que devo trilhar.
Forneça-me o alimento pra que eu siga adiante
E o bom senso para saber a hora exata de parar.

Q’eu tenha sempre uma razão para ir em frente
Com a certeza de encontrar essa causa, por fim.
Mas, não permita que nada me afaste de repente
Daquilo que o Senhor predestinou pra mim.

Pai, mesmo sabendo que esse caminho é iluminado
Suponho que eu esteja bem aquém do que faço jus.
Portanto, se por fraqueza minha, ele for interrompido
Conduza-me, ao melhor caminho, em direção a Jesus.

Luzia Duarte

segunda-feira, 29 de junho de 2009


METAMORFOSE!

atelobrob ed sasa odnarucorP

observei a sua transformação.

!atiefrep ounrot es ale euq ietoN

Uma obra, sublime, de inspiração!

Luzia Duarte

Cabeça Feita!

Há pessoas que procuram uma explicação para a vida
Algumas, dissuadidas, logo renunciam a idéia do saber.
Inda que lhe fechem as portas, haverá sempre uma saída
E, a despeito disso, barreiras foram feitas para se vencer.

O que predomina mesmo é a infinita força de vontade.
E, quanto aos sonhos, esses sempre devem permanecer.
Mesmo que se manifeste um vasto índice de dificuldades
Ninguém vai se dar por vencido, sem antes tentar vencer.

Mesmo que a própria vida nos imponha alguns dilemas
Qualquer pessoa de bom senso deve sempre prosseguir.
Que seja, um contratempo, uma batalha, um problema
Cabe se dar uma nova chance, sem se deixar persuadir.

Luzia Duarte

sábado, 27 de junho de 2009

A Um Amor Distante



Nalguma parte eu sei que você, meu amor, existe.
Como existe o sol, que também nasce noutro lugar
Sei que moras distante, mas isso não me deixa triste.

Sei da sua existência e sonho em poder lhe abraçar.
Mesmo ausente, eu tenho esperança meu amor, eu resisto.
Sei que é longa à distância, todavia não me importa sonhar.

Ainda que eu não possa estar ao seu lado, eu desejo e acredito.

Quem sabe um dia, por ventura, a gente se encontre nalgum lugar.

Luzia Duarte

quarta-feira, 24 de junho de 2009

O Privilégio de Sonhar


Não há nada mais extraordinário


Que sonhar e acreditar num sonho


Embora faça parte do imaginário


Nele eu boto fé e dele eu disponho.


Quando eu sonho, me atrevo, posso ousar.


Sem temores e sem definir os meus limites


Tenho liberdade para refletir, interpretar


Tenho livre-arbítrio para dar meus palpites.


Assim como eu os aceito, ora contraponho


Posso guardá-los comigo e até compartilhar


Até permito que ingressem em meus sonhos


Só não podem é tirar o meu direito de sonhar.


Luzia Duarte

Deixa Acontecer


Deixa que o teu sonho sobrevoe

Não o afugente ante um mau tempo.

Permita que ele sempre te povoe

Mesmo diante de um contratempo.


Deixa que o sol inunde o teu dia

Não te escondas diante de um revés

Aquece-te com o calor que dele irradia

Inda que cerre os olhos sinta-o, através.


Deixa que a lua clareie o teu firmamento

Não te espantes diante de qualquer fase.

Deixa que uma luz ilumine teu pensamento

Ainda que o resultado por ventura se atrase.


Deixa que a graça da amizade esteja presente

Admire-a, apesar de algumas terem espinhos.

Deixa que o aroma que dela brotar te alimente.

Pois ela estará sempre presente em teu caminho.


Luzia Duarte

Remissão dos Pecados


Meu Senhor, a Ti, eu me entrego

Entrego a minha vida em tuas mãos

Entrego-te a minha alma, o meu ego

Entrego-te meu corpo, meu coração.

Reconheço que sou um ser imperfeito

Tenho vícios, não separo o joio do trigo.

Possuo, abundância de pecado, no peito

Ainda assim, sei que posso contar contigo.

Ajuda-me Senhor a atenuar a minha culpa

Porque o meu coração encontra-se aflito

Não quero viver de pretextos e desculpas

Não quero uma vida vinculada a conflitos.

Não quero desventuras em meu caminho

Nem ficar sem liberdade, sem prerrogativa.

Quero um repousar tranqüilo em meu ninho

Quero viver uma vida intensa e não passiva.

Para que continue a ver a luz do sol brilhando

Necessito ser absolvido dos meus pecados

Para não ver a lei do homem me condenando

Estou aqui, contrito, arrependido, do Teu lado.


Luzia Duarte

EU CONFESSO


Com esperança, com amor e com ternura,

te mantive sempre presente em meu coração.

Há muito tempo que eu estava a tua procura,

inda q’eu não entendesse direito essa paixão.


Minha confissão, ainda que seja incoerente,

tem muitos motivos, muitas razões de ser

Uma vez que te desejo, te amo loucamente,

é um bom ensejo para eu querer te pertencer.


Confesso que eu vivo esse sonho intensamente.

E, sem nenhuma dúvida, sem nenhuma timidez,

confesso que cultivo esse sonho ardentemente.


Não me atenho com receio d’uma insensatez,

uma vez que uma vida não dura eternamente.

Eu jamais suportaria perdê-lo uma outra vez.


Luzia Duarte

DIA E NOITE


Quando a noite se faz dia

E o sol nasce no horizonte

Uma nova fase ele anuncia

Até que a noite desponte.


Quando o dia enoitece

E chega à hora da Ave-Maria

Devemos nos unir em prece

E agradecer por mais um dia.


Agradecer pelas graças concedidas

Agradecer por tantas oportunidades

Agradecer por nossa e por tantas vidas

Agradecer a Deus por sua generosidade.


Seria bom, se a humanidade ficasse,

Sintonizada, nesses horários, todo dia.

E uma grande harmonia estabelecesse

Com Deus Pai e a Santa Virgem Maria.


Luzia Duarte

RAZÃO DA MINHA VIDA


Tu és a minha luz, o meu amparo

A maior razão da minha vivência.

Tu és um tesouro precioso, raro

És a seiva para minha existência.



Não saberia viver sem o teu carinho

Porquanto tua ternura é meu alento.

Que continue uno, o nosso caminho

Sem a hipótese de um desligamento.



Mas, se por ventura, eu me ausentar

Levar-te-ei no coração, no pensamento.

Lembre-se, q’eu sempre vou te amar

Jamais te esquecerei, um só momento.


Luzia Duarte